SE NÃO EXISTISSE DEUS

9
207
E se não existisse Deus ?

Se não existisse Deus teríamos que criar um. Não sou teólogo nem tenho profundo conhecimento dos conteúdos teologais. Mas minha formação moral e religiosa me credencia a fazer essa análise. Se não existisse Deus o ser humano estaria num barco sem rumo e sem referencial. Meu conhecimento sobre Deus vem da família.

A FAMÍLIA.

Desde o verdor dos anos fui criado numa família de forte tradição religiosa. Lembro-me muito bem das aulas da minha primeira professora, minha querida e inesquecível mãe ALZIRA, ressaltando a importância de se ter Deus como amigo e aliado. Lembro-me dela falando das virtudes morais e teologais, das aulas sobre os sete pecados capitais e seus malefícios, das aulas sobre a importância da boa conduta  nas relações com o próximo. De como o jovem pode evitar conflitos através do controle da impaciência, do senso crítico pessoal, da rebeldia, da petulância, da arrogância, da prepotência, da agressividade e da violência na arte de viver em harmonia.

Pregava também a importância de se focar no texto bíblico Mateus 10:16 ”eu vos envio como ovelhas ao meio de lobos. Sede prudente como as serpentes, simples e inofensivos como as pombas. Quanto ao mal, sede como as crianças, contudo, adultos quanto ao entendimento, andando em sabedoria.

NO PRÉ SEMINÁRIO NA ESCOLA CURA D´ARC

No pré seminário frequentava à Escola Cura D´arc em período integral. De segunda a segunda, saíamos o meu vizinho senhor Francisquinho  e Eu, ainda escuro, quase amanhecendo, à Igreja ajudar na santa missa.

NO SEMINÁRIO

Já no seminário menor, era orientado a seguir um protocolo pautado na disciplina, no intenso estudo, nas programações religiosas, esportivas, culturais e de lazer.

Mas dois acontecimentos deixaram fortes lembranças na minha cabecinha juvenil. Uma muito boa e outra muito desagradável, revelando a vida como ela é.

A desagradável foi o afogamento de um seminarista em um rio, durante uma excursão. Era costume fazer a contagem na saída e outra no retorno. Na contagem do retorno, observou-se a falta de um seminarista. Quanta tristeza e angústia vivenciada por todos e em especial pelos organizadores do evento e pelos pais da vítima.

A lembrança agradável foi uma apresentação do Luiz Gonzaga durante duas horas, com o modesto teatro do seminário lotado e a plateia em pé extasiada cantando e desfrutando daquele inesquecível momento.

NA COMUNIDADE

Nas férias, junto com a família, tinha que desenvolver e realizar um relato sobre trabalho voluntário realizado na comunidade. Percebe-se que o trabalho voluntário hoje (veja artigo auto ajuda, solidariedade e voluntariado no site www.meupetsaudavel.com) apresenta um crescimento muito significativo, existindo inúmeras organizações oficiais, não governamentais e grupos anônimos prestando relevantes serviços às comunidades.

O número de pessoas que realizam trabalho voluntário praticando o bem é significativo porém ainda carente. Há muita gente fazendo o bem. Por outro lado, os registros nas delegacias de polícia de crime praticados contra o homem apresenta uma tendência ascendente. Há muita gente praticando o mal. Muitos pais de família lutando pela sobrevivência são frequentemente agredidas, perseguidas ou enganadas por marginais e até mesmo por pessoas aparentemente insuspeitas, por empresas prestadoras de serviços, nas negociações de compra e venda de bens e entre membros da própria família.

Amigos e familiares perdem a vida em conflitos gerados pela busca de lucro e vantagens pautadas na filosofia do capitalismo selvagem, e os conflitos de ordem amorosa. A história da humanidade tem mostrado que “os homens nascem, amam, sofrem e morrem”. Há muita gente carecendo de Deus nas suas ações, atitudes, no comportamento.

DEUS E A OUTRA PARTE

Como dizia meu saudoso pai:” viver pode ser difícil e perigoso mas é gostoso. Ainda bem que temos um bom Deus a nossa disposição a nos acompanhar, a nos orientar”. A outra parte fica por nossa conta. Viver respeitando as normas, as regras os, folkways e com cautela, proporciona um maior entendimento e harmonia entre as pessoas. A vida é como participar de uma caçada perigosa. E, como diz Victor Hugo em sua obra Os Miseráveis, “para caçada perigosa, matilha silenciosa, cautelosa e atenta”.

E se não existisse Deus?

Mesmo com a existência e o temor a Deus, o homem pratica as mais diversas atrocidades, crueldade e improbidades. Imagina se não existisse. Provavelmente seria o caos angustiante, uma desordem constante total. Por isso é que necessitamos de Deus em nossas vidas, nos nossos negócios, nos nossos relacionamentos, nas nossas ações. Se não existisse Deus, teríamos que criar um.

Algumas pessoas, às vezes, fecham seus corações para Deus e desenvolvem ações voltadas para o mal. Se aborrecem, se vingam e matam por coisas banais (veja o artigo imprevisibilidade do comportamento humano no site www.meupetsaudavel).

Outros abrem seus corações para Deus e cultivam atos de bondade, de amor ao próximo e diante de alguma adversidade sabem dar a volta por cima e ter uma conduta muito comum entre os Ingleses que é ”dissimular para evitar constrangimento” ou uma atitude comum entre brasileiros que possuem um bom equilíbrio emocional e o coração voltado para Deus, de colocar um pouco de humor em situações inusitadas, fugindo do patológico stress.

80 ANOS

Para finalizar, vou contar um fato presenciado por várias pessoas. O ocorrido foi durante os festejos de 80 anos da dona Alzira.

Família e amigos reunidos compenetrados assistindo a santa missa ao ar livre da residência, celebrada por um padre muito amigo da família, o padre Sales. Na sequência, os parabéns, os cumprimentos, os grupinhos se formando, conjunto musical animando, garçons servindo pessoas ao redor da piscina, quando de repente meu cunhado Samuel Paulino Lima, esposo da meiga e querida irmã Helena Selma, de terno e gravata escorregou e caiu dentro da piscina. Porém, com a ajuda do garçom, logo saiu com a roupa encharcada e parecendo um pinto molhado. Samuel sorridente e ainda com a taça de champanhe na mão saiu-se com essa pérola: “perco o equilíbrio mas não perco o bom humor nem a champanhe.” Foi muito bacana ver e ouvir os aplausos dos presentes.

Posteriormente o fato foi explicado. Na realidade o Samuel não escorregou e caiu na piscina. Ele na tentativa de socorrer o cãozinho pequinês que tinha caído na piscina, perdeu o equilíbrio mas conseguiu sair com o cãozinho em uma mão e a taça na outra.

DEUS NO CORAÇÃO E PAIXÃO PELOS ANIMAIS.

O Rex

Minha mãe era religiosa fervorosa, possuidora de grande generosidade. Tinha Deus no coração e, juntamente com a família sempre foi apaixonada por animais. De bovinos, suínos, equinos, muares, bardotos, caprinos até galinhas e perus.

 Mas o foco maior mesmo estava nos caninos.  Já teve a Canora, a Manchinha, o Corona, o Rex, a Natacha, o Duque(esse do querido irmão Auricélio). Rex foi o que caiu na piscina e recebeu atendimento Veterinário enquanto o Samuel degustava sua champanhe e desfrutava da atenção de uma das coisas mais importantes desse vida: amigos.

veja artigo: De 3 coisas precisa o homem para ser feliz

AGRADECENDO AO BOM DEUS

Minha mãe ensinava que deveríamos amar e agradecer sempre ao bom Deus pela vida, pelas conquistas por mais simples que fossem, pela saúde, pelo trabalho, pelo alimento, pelas amizades, pelos bons momentos, pela paz.

E SE NÃO EXISTE DEUS?

Se não existisse Deus teríamos que criar um. Ouvir e seguir a voz de Deus é indispensável. É como diz Sócrates e Kant em a voz de Deus em nós. “Há lá dentro no íntimo de cada pessoa uma voz que não se cala, sempre vigilante, aprovando e proibindo, advertindo não faça isso, faça aquilo” Nós é que, na nossa condição humana, de vez em quando, perdemos o foco.

Muito obrigado.

Para ver mais artigos sobre curiosidades e assuntos relacionados com os pets acesse: www.meupetsaudavel.com.

Artigo anteriorAUTO MEDICAR MEU PET, É CERTO?
Próximo artigoDE TRÊS COISAS PRECISA O HOMEM PARA SER FELIZ.
O Blog meu pet saudável foi criado pelo Médico Veterinário Aloízio Apoliano Cardozo, M.S. pela U.F.V. MG, pós graduação em Clínica Médica Cirúrgica de Pequenos Animais pela Qualittas, pós graduação em dermatologia pela Equalis e participação em vários eventos como Congresso, Simpósio, cursos, palestras , dentre outros, promovidos pela Qualittas e ANCLIVEPA. Atuou por diversos anos prestando Assistência Técnica e Extensão Rural, teórica e prática, com metodologia grupal, aos pecuaristas pela ACAR-GO (Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Goiás) e EMATER-GO ( Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Goiás). É Diretor do Consultório Veterinário Popular e proprietário de uma loja de Produtos Veterinários: medicamentos, rações, vacinas e acessórios diversos para pet. Trabalhou como voluntário plantonista no Centro de Valorização da Vida (CVV) e no Hospital das Clínicas(HC) da UFG, fazendo palestras para os pacientes, sobre estilo de vida, alimentação saudável e mensagens musicais; participou de vários cursos de dança de salão com professores Jaime Aroxa e Carlinhos de Jesus; foi fundador da Academia de Dança Bolero Passos e Compassos: ministrou curso de dança de salão para pessoas carentes na Paróquia São francisco de Assis contribuindo para um crescimento físico, moral e espiritual. É sócio da Associação Nacional de Clínicos de Pequenos Animais e possuidor do selo de qualidade ANCLIVEPA -BRASIL.

9 COMENTÁRIOS

  1. Thank you a lot for giving everyone a very splendid opportunity to check tips from this site. It can be very excellent and as well , stuffed with amusement for me personally and my office acquaintances to visit your website the equivalent of thrice in 7 days to read the fresh things you will have. And lastly, I am also certainly fulfilled with all the tremendous ideas served by you. Selected 2 tips in this article are in fact the very best we have all ever had. Dayna Pate Vareck

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui