O QUARTETO DA FELICIDADE

0
98

O quarteto da felicidade é composto de DOPAMINA, SEROTONINA, ENDORFINA E OCITOCINA. São considerados os quatro principais hormônios responsáveis por disparar o gatilho da felicidade.

FELICIDADE

Os seres humanos sempre procuraram a felicidade ou seja, momentos de alegria, prazer e euforia. de grande satisfação gerando uma sensação agradável, prazerosa, de bem estar, de bem viver.

Os pets também mostram sinais de alegria diante de um agrado, um afeto, um passeio, um alimento de qualidade, quando vão ao banho, quando recebem um mimo.

Esse quarteto da felicidade é dividido em Dopamina, Serotonina, Endorfina e Ocitocina e cada uma dessas substâncias atua de uma forma diferente no cérebro.

Esses hormônios estão sempre ativos no organismo humano e animal e após serem liberadas, eles podem estimular aquela sensação gostosa de felicidade.

Mas, afinal o que é felicidade? É difícil definir, rigorosamente, a felicidade e sua medida. Existem diferentes abordagens ao estudo da felicidade tanto pela filosofia, pela psicologia quanto pelas religiões. A definição de felicidade pode variar de pessoa à pessoa.

  • Pode ser definido como um estado de bem-estar físico, moral, espiritual, social e financeiro.
  • Os dicionários de um modo geral, definem felicidade como um “estado durável de plenitude, satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude são transformados em emoções ou sentimentos que vão desde o contentamento até a alegria intensa e júbilo.

A busca da felicidade pode ser entendido, do ponto de vista físico, como um processo biológico e que faz parte dos desejos humanos.

Há pessoas que se consideram mais felizes quando tem um amor. Algumas quando tem dinheiro, outros pela beleza, por poder, por prestigio ou fama. São fatores afrodisíacos e que em geral, tende a corromper o homem.

O que acontece no corpo quando o gatilho da alegria efetivamente dispara? Como estimular o sentimento de alegria e felicidade?

Algumas substâncias produzidas no organismo em estruturas conhecidas como glândulas e com ação específica sobre determinados pontos, são responsáveis por produzir descontração, humor e bem estar. As mais estudadas são consideradas o quarteto da felicidade: dopamina, serotonina, endorfina, oxitocina.

Todos são hormônios sempre ativos no organismo humano e animal. Podem ser estimulados através do alimento, atividades ou através do uso de drogas.

Nesse sentido há quatro substâncias químicas naturais que agem no corpo. Segundo a pesquisadora Loretta Breuning da Universidade Estadual da California (EUA), autora do livro “hábitos de um cérebro feliz, “quando o seu cérebro é estimulado e emite essas substâncias, você se sente bem”

Elas atuam, momentaneamente em local específico levando o organismo a exercer determinado trabalho, cessando após o término dessa atividade.  

1 – DOPAMINA

Dopamina é o primeiro componente do quarteto da felicidade. É um neurotransmissor mediador do prazer, da sensação agradável. É um hormônio responsável por sentimentos como o amor e luxúria, podendo ser viciante.

Estudando os efeitos da dopamina no cérebro, em trabalho publicado por Neuron em 2012 na Universidade de Connections (EUA) foi observado que níveis baixos de dopamina fazem com que as pessoas e animais sejam menos propensos a trabalhar com um propósito relacionado ao amor e luxúria. Tem muito a ver com a motivação.

A duração do efeito desse hormônio vai até o alcance do objetivo, do desejo da paixão e a partir daí esse sentimento intenso passa, é desacelerado e entra a fase do amor.

Tende a ter mais a ver com motivação e relação custo-benefício do que com o próprio prazer.

A título de exemplo: você projeta montar uma empresa, se prepara, organiza e depois ao alcançar seu objetivo, tem aumentado os níveis de dopamina.

Iniciar os primeiros passos na produção de um livro e depois de alcançar o resultado tem aumentado os níveis de dopamina.

Segundo relatos, a ativação dessa substância ocorre quando se dá o primeiro passo rumo a um objetivo e também quando a meta é atingida, alcançada ou cumprida.

O mesmo acontece quando recebe uma notícia boa, quando vai a um jogo de futebol e seu time ganha; quando ganha em um bingo, quando ganha um lindo pet já vacinado e castrado.

Ao se definir metas de curto prazo ou dividir objetivos de longo prazo em metas mais rápidas e ter a celebração quando atingir os objetivos, é uma maneira de elevar níveis de dopamina no organismo, segundo endocrinologistas.

2 – SEROTONINA

Serotonina é o segundo componente do quarteto da felicidade. É o hormônio que nos torna obcecados. É encontrada especialmente no cérebro e nas mucosas gástricas que desempenha importantes funções fisiológicas como neurotransmissor, vasoconstrictor e regulador da atividade dos músculos lisos.

É uma Amina de fórmula C10H12N2O sintetizada nos neurônios serotoninérgicos do SNC, nas células enterocronafins do trato gastrointestinal dos animais e em vários cogumelos e plantas, incluindo frutas e verduras.

Noventa por cento da serotonina se encontra no intestino mas pode ser encontrado também nas plaquetas sanguíneas, no SNC e no trato digestivo.

E um hormônio que atua regulando o humor, o apetite, o sono, o ritmo cardíaco, a temperatura corporal, sensibilidade, movimentos intestinais e funções intelectuais.

Em baixa concentração no organismo pode provocar mau humor, sonolência, ansiedade ou até mesmo depressão.

Para evitar esses problemas e manter os níveis adequados de serotonina é recomendável incluir na rotina:

  • Atividades físicas (massagem).
  • Aumentar ao consumo de vitamina do complexo B.
  • Magnésio.
  • Consumir triptofano, aminoácido utilizado na síntese de proteína. O triptofano ajuda a estimular a secreção de insulina e hormônio do crescimento.
  • Reduzir o consumo de açúcar (nome genérico do carboidrato cristalizado comestível).
  • Tomar sol diariamente das 7 às 9 horas e após às 16 horas.
  • Procurar estabelecer uma postura mais otimista e positiva diante da vida.

Doses normais de serotonina é muito benéfico ao organismo mas o excesso pode acarretar problemas como intoxicação, tremores, náuseas, diarreias.  Provoca um desequilíbrio na comunicação entre as células podendo levar a um quadro de depressão e ansiedade que são influenciado pela liberação maior ou menor de serotonina.

Alimentos estragados ou irritantes quando ingeridos pode provocar aumento do serotonina no intestino, levando a um quadro de diarreia. Quando o excesso é no sangue gera vômitos.

Pesquisas em pacientes oncológicos submetidos a tumores cancerosos, tem revelado amento nas taxas de serotonina e passam a ter vômitos secundário a quimioterapia.

Os sinais mais comuns que o organismo passa quando está com taxas de serotonina baixas são:

  1. Mau humor, principalmente pela manhã.
  2. Sonolência durante o dia
  3. Alteração do desejo sexual
  4. Vontade de comer doce
  5. Comer a toada hora
  6. Dificuldade no aprendizado
  7. Distúrbio na memória e na concentração
  8. Irritabilidade
  9. Cansaço
  10. Impaciência
  11. Baixo astral.

3 – ENDORFINA

Endorfina é o terceiro componente do quarteto da felicidade. É um neurotransmissor que atua no sistema límbico que atua na área do cérebro responsável pelo prazer.

São considerados anestésicos naturais do corpo como a morfina.

Segundo Brening que o descobriu há mais de 40 anos, as endorfinas proporcionam “uma breve euforia que mascara a dor física”.

Esses opiaceos naturais podem ser liberados do organismo a partir do consumo de alimentos picantes como pimentas, temperos e condimentos.

Assistir filmes tristes também eleva os níveis da substância segundo estudo realizado na Universidade de Oxford na Inglaterra pelo professor Robin Dunbar. O contrário pode acontecer com algumas pessoas que quando apresentam maior resposta emocional quando registram maior aumento na resistência a dores e sentimentos de unidade em grupo.

Antar, dançar, trabalho em equipe também são atividades que tem influência na melhoria e no aumento das endorfinas, na união social e tolerância a dor.

4 – OCITOCINA OU OXITOCITONA

A ocitocina ou oxitocitona é o quarto componente do quarteto da felicidade. É um neurotransmissor que está relacionado com o desenvolvimento de comportamentos e vícios maternos como beijos, abraços, carinhos, afagos, emoções.

É considerado o hormônio dos vínculos emocionais e do abraço.

“A ligação social é essencial para a sobrevivência da espécie humana e animal uma vez que favorece a reprodução, proteção contra predadores e mudanças ambientais, além de promover o desenvolvimento do cérebro”, segundo trabalho publicado pelo Ginecologista e obstetra Naveneet Magon, em 2011. Ele também relata que o abandono, a rejeição e a exclusão do grupo pode produzir transtornos emocionais incalculáveis.

Esse hormônio segundo o obstetra, assume um papel de liderança entre os componentes do quarteto. É uma substância que dá confiança para estabelecer relacionamentos emocionais.

Dar e receber presente, abraçar são formas simples de aumentar a ocitocina.

Formar relacionamentos de confiança aos poucos, dando pequenos avanços e negociando expectativas contribui para que  as partes envolvidas possam concretizar o vínculo emocional pois estimula a ocitocina.

Leia também: LEGADO, UMA MARCA A SER DEIXADA.

PESQUISAS DESENVOLVIDAS EM PETS

Algumas pesquisas desenvolvidas em pets tem revelado que a relação entre cachorros e humanos também é regida por esses hormônios, especialmente a ocitocina, considerado o hormônio do amor.

Esse hormônio promove a afeição, diminui o estresse e a pressão arterial e incentiva o instinto de proteção.

Dois pesquisadores da Universidade Duke, nos Estados Unidos, Vanessa Woods e Brian Hare, concluíram que os mesmos estímulos que estimulam os humanos à sensação de prazer e felicidade provocado pelo quarteto da felicidade também funcionam com os pets.

Os pets reagem positivamente demonstrando grande satisfação e felicidade ao serem tocados com carinho, ao receberem massagem, petiscos, uma refeição de qualidade ou um agrado do seu tutor por conta da ação da ocitocina no seu cérebro.

Uma simples troca de olhares atenciosos, um contado e até uma lambedura (considerado por alguns como o beijo do cão) indicam o aumento e a ação da ocitocina e a queda de cortisol (relacionado ao nível de estressse) no cão e, por coincidência, também nos seus tutores que se consideram mais felizes com a relação que tem com seus animais de estimação. (veja também o artigo ” será que vivemos bem com o nosso pet?)

Nos diversos estudos em andamento, principalmente em cães, foi constatado que a sensação de prazer, a quantidade de reações bioquímicas geradas pelo contato com eles são consideravelmente maiores do que certas situações prazerosas, como por exemplo, ler um livro, fazer um passeio, ir ao teatro ou  a um cinema.

Adquirir um animal pode fazer muito bem. Lê um livro, sem dúvida, também.” Um livro aberto é um amigo que fala, que aconselha, que instrui, que informa, que fornece conhecimentos. Fechado um amigo que espera, destruído um amigo que chora, esquecido um amigo que perdoa”. Você pode lê outras vezes. Ir ao futebol, ao teatro. São atividades prazerosas.

Agora, não se iluda nem se anime, em colocar um cãozinho em casa, sem um planejamento, sem analisar de forma adequada as providências e os cuidados constantes que deverão ser tomados, junto a um Médico Veterinário de pequenos animais.

Muito obrigado.

Para outros artigos sobre curiosidades ou artigos sobre pets acesso o site: www.meupetsaudavel.com

Artigo anteriorMAIOR ÓRGÃO DO CORPO.
Próximo artigoPERIGOS DA AUTO MEDICAÇÃO NOS PETS
O Blog meu pet saudável foi criado pelo Médico Veterinário Aloízio Apoliano Cardozo, M.S. pela U.F.V. MG, pós graduação em Clínica Médica Cirúrgica de Pequenos Animais pela Qualittas, pós graduação em dermatologia pela Equalis e participação em vários eventos como Congresso, Simpósio, cursos, palestras , dentre outros, promovidos pela Qualittas e ANCLIVEPA. Atuou por diversos anos prestando Assistência Técnica e Extensão Rural, teórica e prática, com metodologia grupal, aos pecuaristas pela ACAR-GO (Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Goiás) e EMATER-GO ( Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Goiás). É Diretor do Consultório Veterinário Popular e proprietário de uma loja de Produtos Veterinários: medicamentos, rações, vacinas e acessórios diversos para pet. Trabalhou como voluntário plantonista no Centro de Valorização da Vida (CVV) e no Hospital das Clínicas(HC) da UFG, fazendo palestras para os pacientes, sobre estilo de vida, alimentação saudável e mensagens musicais; participou de vários cursos de dança de salão com professores Jaime Aroxa e Carlinhos de Jesus; foi fundador da Academia de Dança Bolero Passos e Compassos: ministrou curso de dança de salão para pessoas carentes na Paróquia São francisco de Assis contribuindo para um crescimento físico, moral e espiritual. É sócio da Associação Nacional de Clínicos de Pequenos Animais e possuidor do selo de qualidade ANCLIVEPA -BRASIL.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui