Cães envelhecendo, o que fazer?

1
43
Imagem ilustrativa de cães envelhecendo
Imagem ilustrativa de cão envelhecendo

Porque os Cães estão envelhecendo cada vez mais? Quando ele se torna idoso, quais os cuidados necessários para preservar o meu cão? Confira!

A exemplo do que acontece com a espécie humana, os animais domésticos já conquistaram significativos índices de expectativa de vida, atingindo idade antes inimagináveis, com registros, cada vez mais frequentes de cão/cães envelhecendo a casa dos vinte anos.

PORQUE ESTÃO ENVELHECENDO MAIS.

Inúmeros fatores contribuíram para essa conquista, como:

1 – Visitas mais frequentes a consultório e clínicas veterinárias.
2 – Melhoria na profilaxia, prevenção e terapia, novas vacinas, medicamentos mais eficazes e eficientes, com menos efeitos colaterais.
3 – Melhores rações.
4 – Amor dedicado da maioria dos tutores que passaram a considerar o cão como um membro da família.

O QUE É O ENVELHECIMENTO

Nos seres humanos, o envelhecimento é “um processo que consiste em uma diminuição orgânica e funcional, não decorrente de doença, e que acontece, inevitavelmente, com o passar do tempo”, segundo ficou estabelecido em 1982 na 1ª Assembleia Mundial do Envelhecimento, sendo considerado idoso as pessoas com idade de 65 anos ou mais.

No caso dos animais domésticos, este conceito também é considerado.

O QUE É UM CÃO IDOSO?

Segundo o guia publicado no jornal da Associação do Hospital Veterinário Americano, fornecido pelo grupo Cerino, um cão é considerado idoso quando atinge a faixa etária compreendida entre 9 anos e 9 meses a 13 anos.

Hoje, considera-se o porte e a raça como os principais fatores para se estabelecer o início do cão geriátrico.

Considera-se que o cão se torna idoso quando atinge 75% de sua expectativa de vida.

Cães de pequeno porte (por exemplo: poodle) com até 10 quilos são considerados idosos a partir dos 9 anos; os de médio porte (Cocker spaniel) a partir dos 8 anos, já os de grande porte (labrador) e gigante (dog alemão) atingem o período geriátrico em torno de 7 anos de idade.

Um cão de 5 a 7 anos de idade corresponde a 50 a 60 da idade do homem e o cão com idade entre de 7 a 18 anos corresponde entre 60 a 100 da idade do homem.

Enquanto que os gatos são considerados idosos a partir dos 8 anos de idade. Mas esses conceitos são relativos e ainda carecem de mais estudos e unanimidade.

QUAIS ALTERAÇÕES OCORREM EM UM CÃO IDOSO?

Quando os cães estão envelhecendo, costumam dormir bastante, a aparência muda, os pelos ficam brancos, podem apresentar problemas dentários com presença de tártaros ou problemas urinários, hepáticos, respiratórios, há perdas auditivas e visuais, mas está sempre ali junto do tutor.

As alterações, biológicas e funcionais, causadas no metabolismo do cão idoso, comprometem a sua capacidade de se adaptar ao meio ambiente e com o passar do tempo tendem a apresentar um comprometimento do seu estado nutricional, sua resistência orgânica e sua imunidade, deixando-o vulnerável às doenças, requerendo cuidados extras.

São perceptíveis:

1 – Alterações na cor dos pelos e na aparência.
2 – Dificuldade para caminhar.
3 – Dificuldade para se alimentar;
4 – Deficiência e problemas visuais.
5 – Deficiência e problemas auditivos.
6 – Insuficiência do trato urinário.
7 – Insuficiência do sistema respiratório.
8 – Insuficiência do sistema digestório.
9 – Problemas dermatológicos.
10 – Problemas oncológicos

CUIDADOS ESPECIAIS

1 – É preciso ficar atento com medidas preventivas.
2 – Cuidados com a alimentação adequada, com uma proporção mais alta de antioxidante.
3 – Cuidado com o fornecimento adequado de suporte de água.
4 – Usar corretamente medicamentos e suplementos, de acordo com prescrição do Médico Veterinário.
5 – Promover atividade física leve, passeios em horários adequados, brincadeiras, dentre outros, de modo que, apesar de idoso, o animalzinho venha desfrutar de uma boa qualidade de vida, com conforto e amor.

CONSEQUÊNCIA DO ENVELHECIMENTO         

A consequência principal do processo de envelhecimento não apenas nos cães, mas em todos seres vivos é o estresse oxidativo celular, que pode provocar a produção de peróxidos, radicais livres denominado ERO (espécies reativas de oxigênio) e ERN (espécies reativas de nitrogênio) que quando em excesso  danificam todos os componentes celulares, incluindo proteínas, lipídios e o DNA, comprometendo a realização das  suas funções de fornecimento de energia, regulação do crescimento celular, fagocitose, sinalização intercelular, síntese de substâncias biológicas, imunidade e defesa celular.

O ERO está associado a infecções, parasitas, radiações, hipóxia, toxinas, relacionada a diversas patologias em humanos como artrite, choque hemorrágico, neoplasias. Na medicina veterinária, o estresse oxidativo tem sido relacionando com doenças respiratórias, doenças articulares, doenças gastrointestinais e nas septicemias.

O ERN está mais relacionado com patologias do sistema urinário.

Apesar de todos esses conhecimentos, há relatos sugerindo que se faz relevante que haja mais estudos voltados para a percepção do cão geronte, para que se possa compreender melhor o seu processo de envelhecimento.

O QUE FAZER?

Desde a antiguidade que o homem sonha e busca formas para evitar ou retardar o envelhecimento. Ultimamente estudos estão sendo intensificados e conforme publicação do American Association for the Advancement of Science, alguns resultados positivos com drogas que além de atuarem no antienvelhecimento, também reforçam o sistema imunológico.

Com relação aos animais, o recomendável é que as providências sejam tomadas desde cedo.

1 – Escolha da fêmea e do macho que irão cruzar. Tanto o a fêmea quanto o macho devem ser saudáveis e isentos de doenças infectocontagiosas e parasitárias.

2 – Os cuidados devem ser iniciados com a fêmea gestante pois uma fêmea gestante bem cuidada, bem alimentada, vacinada, saudável e com o organismo estabilizado e compensado, apresenta grande probabilidade de produzir filhotes saudáveis.

3 – Filhotes devem ser levados ao Médico Veterinário para uma avaliação do estado de saúde.

4 – Filhotes devem seguir um esquema de controle de endo e ectoparasitas, de vacinação contra viroses e ser orientado sobre manejo, alimentação adequada, higiene e outros cuidados especiais.

Mas animal já está com a idade avançada, a busca é no sentido de:

  • Desenvolver esforços para reverter a progressão do envelhecimento.
  • Inibir proteínas relacionadas com o envelhecimento.
  • Fortalecer o sistema imunológico
  • Repor os níveis de neurotransmissores
  • Facilitar o seu metabolismo.
  • Manter o cão com o peso corporal ideal, com alimentação adequada desde cedo e uma dieta com uma proporção mais alta de antioxidantes

Com os resultados dos estudos e pesquisas em desenvolvimento, ficaremos cada vez mais aptos a cuidar de nossos cães que estão envelhecendo cada vez mais. Além de poder retardar o processo de envelhecimento em nossos pets.

Para maiores informações, orientações e Indicações, CONSULTE UM MÉDICO VETERINÁRIO! Muito obrigado.

VOCÊ JÁ PRATICOU UMA BOA AÇÃO HOJE?

Leia também: POSSO DAR LEITE DE VACA PARA MEU PET?

Artigo anteriorPOSSO DAR LEITE DE VACA PARA MEU PET?
Próximo artigoCINOMOSE: Sintomas, Prevenção e Tratamento
O Blog meu pet saudável foi criado pelo Médico Veterinário Aloízio Apoliano Cardozo, M.S. pela U.F.V. MG, pós graduação em Clínica Médica Cirúrgica de Pequenos Animais pela Qualittas, pós graduação em dermatologia pela Equalis e participação em vários eventos como Congresso, Simpósio, cursos, palestras , dentre outros, promovidos pela Qualittas e ANCLIVEPA. Atuou por diversos anos prestando Assistência Técnica e Extensão Rural, teórica e prática, com metodologia grupal, aos pecuaristas pela ACAR-GO (Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Goiás) e EMATER-GO ( Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Goiás). É Diretor do Consultório Veterinário Popular e proprietário de uma loja de Produtos Veterinários: medicamentos, rações, vacinas e acessórios diversos para pet. Trabalhou como voluntário plantonista no Centro de Valorização da Vida (CVV) e no Hospital das Clínicas(HC) da UFG, fazendo palestras para os pacientes, sobre estilo de vida, alimentação saudável e mensagens musicais; participou de vários cursos de dança de salão com professores Jaime Aroxa e Carlinhos de Jesus; foi fundador da Academia de Dança Bolero Passos e Compassos: ministrou curso de dança de salão para pessoas carentes na Paróquia São francisco de Assis contribuindo para um crescimento físico, moral e espiritual. É sócio da Associação Nacional de Clínicos de Pequenos Animais e possuidor do selo de qualidade ANCLIVEPA -BRASIL.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui