QUANDO E POR QUE VACINAR OS DOGS ?

1
42
Porque vacinar meus Pets

Entenda melhor sobre a vacinação dos Dogs, quando vacinar, por que, como, etc.

QUANDO VACINAR E POR QUE VACINAR OS DOGS.

Vacinar, além de ser necessário para proteger aos humanos e aos animais, é um gesto de amor. Os cachorrinhos quando estão amamentando, estão protegidos de viroses porque o leite materno, considerado, segundo as pesquisas,o principal dos alimentos, fornece anticorpos que irão dar proteção aos dogs. É aconselhável que a amamentação permaneça até aos 45 dias de idade a fim de assegurar uma boa imunidade ao organismo em formação e relativamente ainda frágil.

POR QUE VACINAR.

Com a retirada do leite materno, o cãozinho desprotegido necessita de cuidados especiais e de um suporte.  O Engenheiro quando vai concretar uma varanda ele orienta para fazer escoras com varas de madeira ou de ferro para evitar que desabe. As crianças no primeiro ano de vida e os cãozinhos quando desmamam, necessitam ser vacinados.

As crianças devem ser vacinadas quase que mensal e é tão imprescindível, que o governo disponibiliza a abertura de postos de saúde aos finais de semana em diversos bairros, para tornar mais fácil a vida dos pais que trabalham fora.

QUANDO VACINAR

Os cãezinhos, assim que desmamam aos 45 dias, devem ser vacinados para ficar protegidos contra inúmeras doenças e evitar que adoeçam. Vai que seu animalzinho fica exposto ao vírus ou mesmo ser mordido por um cão ou morcego contaminado com o virus, seu cão sendo vacinado está prevenido e protegido. Seria o mesmo que colocar uma escora na varanda a ser concretada ou uma viga em uma parede para evitar que desabe.

E não podemos descuidar. Temos que levar em conta o período pré-vacinação e pós vacinação, quer o cão seja filhote, adulto ou idoso.
Veja artigo sobre idade dos animais: MEU CÃO ESTÁ ENVELHECENDO. O QUE FAZER?

PERÍODO PRÉ-VACINAÇÃO

E não podemos descuidar. Temos que levar em contra o período pré-vacinação e pós vacinação. No período pré-vacinação, se o filhotinho teve a “sorte” de ter uma mãe bem cuidada pelo tutor, ele provavelmente deverá estar com boa constituição física, com boa imunidade e com suas funções vitais compensadas, ajustadas e equilibradas. Se teve o “azar” de ser filhote de mãe cujo tutor era descuidado  ou não dispunha de tempo ou de recursos para cuidar. Aí a coisa muda de figura.

POR QUE VACINAR

Para vacinar um cãozinho o Médico Veterinário segue um protocolo. Um bom exame clínico vai revelar se o cãozinho pode ser vacinado ou se vai ser necessário fazer correções e ajustes pré-vacinação. Esse procedimento é fundamental para que o organismo ofereça uma reação de produção adequada de anticorpos em resposta a aplicação da vacina. Se o animalzinho não estiver bem ele pode ser afetado negativamente pela vacina, sofrer sequelas e até vir a óbito. Você pode interrogar: “Mas nas campanhas de vacinação antirrábica promovida pelo governo, porque um exame clinico do animal não é realizado? Ora, a Raiva é uma zoonose perigosa dos animais e os humanos podem contrair ao serem mordidos por animais infectados e quase sempre é fatal tanto para os animais quanto para os homens.

É um problema de saúde pública cuja prevenção requer um atendimento amplo com vacinação da grande maioria da população composta de milhares de cães, gatos e outros animais, sem ônus para os tutores.

Animais doentes não devem ser vacinados e os tutores, em geral, não levam pra vacinar nessa condição. Além do mais os vacinadores são orientados a não vacinar animais doentes. Mesmo assim, alguns cães aparentemente sadios, podem estar acometidos de alguma enfermidade assintomática e ao serem vacinados apresentarem sintomas ou até mesmo vir a óbito algum tempo depois.

Os filhotinhos de cães devem ser vacinados seguindo um esquema onde aos 45 dias é efetuada a primeira dose e após 21 dias mais duas ou três doses dependendo de como esse animalzinho é criado e tratado. Nos países desenvolvidos, em que os cães são submetidos a uma “consulta de bem estar” anual, e são criados com muito capricho pelos tutores, eles se dão ao luxo de vacinar ano sim e ano não. Mas cada país tem sua realidade.

A vacinação contra raiva deve ser aplicada em cães a partir dos 90 dias e repetidas anualmente. Mas esse procedimento deve ser feito de forma correta respeitando o prazo, as datas e a condição do animal. Se você precisar viajar com seu cãozinho é necessário que ele passe por um exame clínico Veterinário, tenha cartão de vacinação contra raiva atualizado e um Atestado Sanitário para Transito de Cães e Gatos, cuja validade é de 10 dias. É aconselhável manter contato com a empresa de transporte para conhecer as normas uma vez que as exigências podem variar.

Vacina Múltipla

A vacina múltipla contra outras viroses como parvovirose, cinomose, parainfluenza, hepatite, adenovirose, coronovirose, leptospirose canina também deve ser repetida anualmente na dose de 1 ml via subcutânea ou intramuscular, por animal, independente do peso. A vacina deve estar dentro do prazo de validade, ser conservada em geladeira com controle de temperatura entre 2 e 8 graus, com o selo colado no cartão de vacinação e aplicada por Médico veterinário e com cartão carimbado e assinado.

PERÍODO PÓS-VACINAÇÃO

Criar um cãozinho é um ato de amor e de muita responsabilidade necessitando portanto de uma alimentação adequada, vermifugação, combate a pulgas e carrapatos, fornecimento hídrico correto, higiene, vacinação e orientação do Médico Veterinário. Os cuidados devem ser constante , no período pré-vacinação, nos intervalos e no período pós vacinação, na fase adulta e geriátrica.

Para maiores informações e esclarecimentos, consulte seu Médico Veterinário.

Artigo anteriorAPEGO: Por que o Pet costuma ficar no pé do Tutor?
Próximo artigoO CÂNCER: SAIBA COMO ELE SE DESENVOLVE E COMO PREVENIR
O Blog meu pet saudável foi criado pelo Médico Veterinário Aloízio Apoliano Cardozo, M.S. pela U.F.V. MG, pós graduação em Clínica Médica Cirúrgica de Pequenos Animais pela Qualittas, pós graduação em dermatologia pela Equalis e participação em vários eventos como Congresso, Simpósio, cursos, palestras , dentre outros, promovidos pela Qualittas e ANCLIVEPA. Atuou por diversos anos prestando Assistência Técnica e Extensão Rural, teórica e prática, com metodologia grupal, aos pecuaristas pela ACAR-GO (Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Goiás) e EMATER-GO ( Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Goiás). É Diretor do Consultório Veterinário Popular e proprietário de uma loja de Produtos Veterinários: medicamentos, rações, vacinas e acessórios diversos para pet. Trabalhou como voluntário plantonista no Centro de Valorização da Vida (CVV) e no Hospital das Clínicas(HC) da UFG, fazendo palestras para os pacientes, sobre estilo de vida, alimentação saudável e mensagens musicais; participou de vários cursos de dança de salão com professores Jaime Aroxa e Carlinhos de Jesus; foi fundador da Academia de Dança Bolero Passos e Compassos: ministrou curso de dança de salão para pessoas carentes na Paróquia São francisco de Assis contribuindo para um crescimento físico, moral e espiritual. É sócio da Associação Nacional de Clínicos de Pequenos Animais e possuidor do selo de qualidade ANCLIVEPA -BRASIL.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui