QUERO ADQUIRIR UM CÃO OU GATO BRAQUICEFÁLICO. O QUE DEVO FAZER?

0
79

Se você planeja comprar um cão ou um gato braquicefálico, desconhece características da raça, não dispõe

de informações e conhecimento sobre cuidados necessários e gosta de viajar esse artigo é imprescindível.

Leia até o final e descubra tudo que diz respeito aos braquicefálicos. Serão esclarecidos temos como:

.por que são tão queridos; origem do termo braquicefálico; principais raças braquicefálicas; síndrome braquicefálica; outras informações sobre síndrome braquicefálica;dicas para aquisição e criação; dicas para viagem.

Confira também quais são os cuidados e a quais detalhes são necessários ficar atentos.Incluir um novo membro na família pode ser motivo de muita expectativa para os pais e os filhos principalmente em se tratando de um braquicefálico. Mas afinal por que será que eles são tão queridos do público?  O que ele tem de atrativos para despertar tanto interesse entre os cinófilos a ponto de em cada cinco raças registradas em 2018, segundo CBKC ( Confederação Brasileira de Cinofilia – Kennel Club) três delas serem braquicefálicas (Shitzu, Buldog francês e Pug )?

O que devo fazer para adquirir um e criar de forma adequada? Quais as principais dicas para te ajudar a lidar melhor diante dessa situação?  É o que iremos abordar nesse artigo.

VAI ADQUIRIR UM CÃO BRAQUICEFÁLICO? SAIBA O QUE É UM CÃO BRAQUICEFÁLICO E CONHEÇA DICAS QUE COM CERTEZA IRÃO TE AJUDAR NA AQUISIÇÃO E NA CRIAÇÃO.

1-PORQUE SÃO TÃO QUERIDOS?

São cheios de atrativos, considerados e vistos como fofinhos, alegres, bonitos, carismáticos, carinhosos, calmos, tranquilos, ótimos companheiros e obedientes.

2-O QUE É E DE ONDE VEM O TERMO BRAQUICEFÁLICO?

Braquicefálico é um termo originado da união da palavra grega “brachys” que significa “curta distância” e “cefálico”, referente a cabeça, ou seja, cabeça achatada, larga e curta. Apresentam também olhos esbugalhados, vulneráveis a traumatismos, e costumam não piscar os olhos em toda sua amplitude ficando uma faixa horizontal desprotegida, desidratrada com tendência a ressecamento e predisposição a úlcera de córnea, glaucoma, catarata principalmente em idade mais avançada.

Há anos era dado muito valor ao cruzamento de cães pequenos com focinhos cada vez mais curtos, objetivando obter um maxilar inferior ou mandíbula,(osso importante por suportar os dentes em todos os animais) proporcional ao tamanho do corpo. Buscava-se assim obter um maxilar superior mais encurtado, enquanto a mandíbula deveria ser mantido do tamanho normal.

O problema é que isso levou a transformação física das raças a impactar principalmente o estilo de vida que os cães passaram a ter, levando algumas raças a desenvolverem problemas graves e complexos relacionados a mastigação  e respiração.

A conformação anatômica pode  gerar desconforto e sofrimento aos braquicefálicos como disfunção temporomandibular e dor orofacial levando a dor facial, dificuldade de mastigação e estalos nas articulações bem como deslocamento da mandíbula por conexão anormal, má formação genética, ou fratura impedindo ou dificultando a abertura e fechamento da boca. Esses problemas precisam ser controlados e corrigidos com cuidados especiais e Assistência Veterinária.

3– PRINCIPAIS RAÇAS BRAQUICEFÁLICAS:

  3.1.Cães

Buldog Inglês e francês

Lhasa Apso

Lulu da pamerânia (spitz alemão)

Maltês

Pequenês

Pug

Shar-Pai

Shihtzus

  3.2.Gatos

Persa

Himalaio

4-SÍNDROME BRAQUICEFÁLICA

Um problema que já nasceu com os cães é a síndrome braquicefálica. Consiste em alterações estruturais e funcionais da cabeça e face.

A síndrome braquicefálica conhecida também como síndrome das vias aéreas braquicefálicas e síndrome da obstrução das vias aéreas braquicefálicas se caracteriza por apresentar anormalidade anatômica  congênitas das vias aéreas respiratórias.

Alguns defeitos primários incluem estenose ou estreitamento dos orifícios nasais, prolongamento do palato mole e hiperplasia traqueal, podendo provocar alterações secundárias como eversão (reviramento) dos sacos laríngeos e colapso laríngeo, muitas vezes requerendo procedimento cirúrgico.

 O animal braquicefálico respira praticamente pela cavidade oral e uma porcentagem mínima pelo focinho e almofadas das patas.

A caixa craniana se apresenta desproporcionalmente maior que a face, sendo esta mais curta e larga. A crista cranial é reduzida podendo não existir. Algumas raças como pug, pamerânia, pequenês, bostem terrier e algumas spaniel, são exemplo clássicos de casos clínicos relacionados a braquicefalia; o pragnatismo mandibular severa é uma anomalia onde a mandíbula (queixo) se projeta mais rostralmente (para frente) que o osso maxilar superior, afetando as vias respiratórias de forma anatômica e funcional.

Cão com síndrome da obstrução das vias aéreas braquicefálicas

 Esses animais muitas vezes apresentam problemas com relação direta ou indireta ao sistema respiratório ou digestório. Um grande problema desses animais é que sua boca é pequena em

relação a língua grande, o que faz, as vezes,  sua boca ficar torta para um lado e a  língua para o outro.

Apresentam uma redução dos orifícios nasais e o desenvolvimento incompleto da traqueia, órgão do sistema respiratório responsável por filtrar, umedecer e conduzir o ar aos pulmões.

Outro problema é que o palato mole (Céu da boca) é muito prolongado e durante a  respiração do animal ele  vibra  produzindo  um barulho que leva ao “ronco”. A consequência é a dificuldade de respirar que pode variara de grau leve a grave para alguns cachorros.

Felizmente não são todos os cães que desenvolvem os sintomas da Sindrome Braquicefálica. As alterações são variáveis e os sintomas podem se manifestar de forma  diferente em cada cão ou raça. Cães braquicefálicos produzem filhotes braquicefálicos mas dependendo do cruzamento, cães sem raças definidas podem produzir filhotes braquicefálicos.

 5OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE SINTOMAS DA SINDROME BRAQUICEFÁLICA.

5.1- A maior parte da respiração é realizada através da boca e requer um esforço maior porque necessita efetuar de forma rápida e curta a fim de atender suas necessidades.

5.2– O braquicefálico “ronca” muito devido ao palato mole (parte de trás da boca) prolongado e flexível vibrar com a passagem forçada do ar.

5.3– Posicionamento dos dentes são incorretos devido o maxilar superior ser recuado reduzindo o espaço para os dentes que acabam crescendo em ângulos desiguais podendo causar doenças dentárias.

5.4- Problemas oculares- Os olhos costumam ser arregalados devido ao formato do crânio mais curto e as pálpebras não os envolvem completamente, Assim, muitos cães braquicefálicos tem baixa produção lacrimal, favorecendo ao olho seco, a úlcera de córnea, traumatismos e a serem expulsos da órbita ocular(exoftalmia).

5.5- Os cães em geral e os braquicefálicos em especial  têm grande dificuldade para realizar a troca de calor pois não transpiram e a respiração pela boca, pela língua  é a principal forma de controlar a temperatura do corpo. No calor a situação é mais agravante. Assim eles tem grande dificuldade para regular sua temperatura corporal, podendo haver hipertermia principalmente em temperaturas ambientais elevadas,  exercícios ou estresse.

5.6- Além dos sintomas citados acima vale ressaltar que os braquicefálicos sofrem com aerofagia (deglutição de ar), tosse, espirro reverso, asma, falta de ar, engasgo, tentativa de vômito, intolerância ao exercício e até desmaio.  Quando a situação fica muito grave é necessário encaminhamento para  um cirurgião veterinário para avaliação dos benefícios de uma cirurgia para abrir as vias respiratórias e facilitar a inspiração e expiração do animal.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  

6 DICAS QUE COM CERTEZA IRÃO TE AJUDAR NA AQUISIÇÃO E CRIAÇÃO.

6.1-AQUISIÇÃO

  6.1.1-Escolha da raça: converse com o Médico Veterinário da sua

confiança e obtenha o máximode informação sobre pets.

O recomendável é adquirir um livro sobre o tema para pesquisa e consulta.

A editora Mizuno editou recentemente um livro “COMO CONSERVAR SEU PET FORTE E SAUDÁVEL.

  • O advogado José Maria A. Lima, residente na cidade do Rio de Janeiro fez o seguinte depoimento:

“adquiri três exemplares do livro como conservar seu PET forte e saudável.

Estou plenamente satisfeito principalmente pelo conteúdo útil e atualizado, ilustrado com fotos

coloridas, papel couchê de alta qualidade e escrito com esmero e erudição,

com 61 artigos curtos,letras de bom tamanho, tornando a leitura fácil, leve, agradável e por um preço

bem acessível. Fiquei com um exemplar, presenteei dois para amigos que ficaram felizes e foram unânimes

em aprovar o livro com depoimentos bem favoráveis. Portanto, com

toda convicção eu recomendo.

6.1.2-A compra do filhote-Preferencialmente procure comprar de um criador idôneo estando o filhote com 45 a 50 dias. Observe que nessa idade os dentes caninos já estão proeminentes e o cãozinho deve está bem alimentado com leite materno. O ideal seria, antes de fechar a compra e com o consentimento do vendedor, levar o animal ao consultório veterinário para uma avaliação e ver as medidas necessárias sobre alimentação, manejo, profilaxia, banho e aquisição de utensílios e acessórios como comedouro, bebedouros, brinquedos, caminha, caixa de transporte dentre outros.

Leia também o artigo: “como adquirir e cuidar do seu filhote”.

6.2-CRIAÇÃO.

Para minimizar o desconforto e assegurar uma vida saudável para o seu braquicefálico fornecemos algumas dicas que com certeza irão ajudar também na sua criação.

6.2.1- É fundamental fornecer ração de qualidade, premium especial ou super prémium e fornecer a quantidade e o número de vezes segundo recomendações do fabricante, ou do Médico Veterinário. Não fornecer comida caseira pois a mesma tem cebola, alho, temperos, condimentos, corantes,sal, gordura, dentre outros e pode provocar distúrbios gastro-intestinais e desestabilizar o animal .(veja artigos “alimentos que não devemos oferecer aos cães e gatos e por quê” e “ como alimentar corretamente seu cão”, E, em tempo muito quente, oferecer uma alimentação pastosa a base de cenoura, beterraba, batata inglesa, macarrão, frango, todos  cozidos e batido no liquidificador com a água do cozimento, tendo o cuidado de deixar esfriar um pouco. A alimentação é um item tão importante que o pai da medicina, Dr Hipócrates, chegou a dizer que: “devemos fazer do nosso alimento o nosso remédio. Se você não comer alimento saudável vai ter que comer remédio”. Com o animal acontece o mesmo.

Se o animal tiver tendência a ser obeso ou for obeso a atenção deve ser maior pois maior é a dificuldade para respirar, se alimentar e ficar  propenso ao diabete, fadiga, indisposição. A alimentação deve ser leve e controlada com a orientação do Médico Veterinário..

6.2.2- Fornecimento de água, Também é um item de fundamental importância que não pode se descuidar. Com relação ao fornecimento hídrico, o recomendável é fornecerduas,ou mais vasilhas com água fresquinha e filtrada se você tem um cão. Se esse cão for braquicefálico o ideal é colocar 3 ou 4 vasilhas espalhadas pela casa. Em tempo quente é aconselhável colocar pedrinha de geloao meio dia.Se o cão for peludo é aconselhável, principalmente durante dias quentes, fazer a tosa pois ajuda a reduzir a temperatura corporal. Em tempo frio a tosa pode ser mais espaçosa pois o pelo ajuda a aquecer.

6.2.3- Sair para passear e manter contatos com outros cães somente  após tomar 3 a 4 doses de vacinas recomendadas pelo Médico Veterinário, tendo o cuidado de evitar situações de calor excessivo, principalmente no verão, como passearem horário quente.Escolher passear em horário com temperatura mais amena, por pouco tempo e percurso pequeno..

6.2.4- Quando o cão estiver muito ofegante colocar sobre ele uma toalha úmida com água friapara que a temperatura corporal diminua. Outra saída é borrifar água fria no dorso do animal e nas patinhas para esfriar o animal.

Piscina pode ser usado sob vigilância e por pouco tempo pois pode ser bastante perigoso para o cão braquicefálico.

 6.2.5- Fazer o primeiro banho somente a partir do terceiro mês de vida buscando antes informações de como banhar corretamente uma  vez que muitos problemas de otite, dentre outros,  ocorrem devido banho de forma inadequada.

6.2.6Cuidado com os sinais que os cães braquicefálicos apresentam. Em geral os sinaisque eles apresentam quando estão incomodados com o calor são iguaisaos outros cães, mas a intensidade é ainda maior. Respiração mais ofegante que o normal, língua para fora, inquietação, sinais de letargia, olhos esbugalhados dentre outros, são sinais que se deve ficar atento.

6.2.7-Se você precisar de viajar com o cão é necessário seguir algumas dicas.

6.2.8-Viajar de carro pela primeira vez- o seu cãozinho já tomou as doses de vacina, está vermifugado, livre de ectoparasitas e com saúde estabilizada conforme exame clínico veterinário e vai precisar viajar pela primeira vez. O que deve ser feito?

Primeiro procurar conhecer as exigências dos órgãos controladores do deslocamento e transporte de animais.

Em princípio o animal deve estar com o cartão de vacinação em dia inclusive a vacina antirrábica, esta obrigatória em todas as partes do mundo por se tratar de uma zoonose perigosa: providenciar com o seu Médico Veterinário o “Atestado sanitário para o trânsito de cães e gatos”.

Providenciar uma caixa de transporte no tamanho que possibilite o cão dar uma volta dentro e proporcione boa ventilação.Se for a primeira viagem do cão e se ele não tem o hábito na utilização da caixa é necessário adestra-lo.Alguns dias antes de viajar deixar a caixa com a porta abertacom algum petisco dentro para o cãozinho ir se acostumando. Colocar e tirar delicadamente o cãozinho para ele ir se adaptando. Sempre fazer carinho e agradar com petisco. Passear com ele dentro da caixa inicialmente dentre de casa, depois na calçada e a seguir no carro dando a volta no quarteirão e aos poucos fazendo passeios maiores até fazer uma viagem mais longa.

Providenciar, vasilhas e comedouros para água, ração e recipientes com ração e água fresca filtrada.

Se a viagem for de ônibus é necessário conhecer as exigências da empresa. Em geral elas exigem a caixa de transporte, atestado de vacinação em dia e “Atestado sanitário para transporte de cães e gatos”. Para viagem interestadual pode ter outras exigências.

6.2.9-Viajar de avião- É fundamental manter contato com a empresa aéreas com antecedência para receber a lista das providências a serem tomadas. As mesmas costumam variar de empresa para empresa, dentro do país e para o exterior.

Em se tratando de cães braquicefálicos as exigências são maiores porque eles além de serem intolerantes ao calor, também tem dificuldades no frio e no calor.

 Há registros de empresas aéreas que se recusam a transportar braquicefálicos.

Por isso eles não podem viajar no porão no local destinada a carga viva, devido situação ser bem estressante, ser um local em que o cão quase não consegue respirarde forma adequada e muitas vezes pode passar mal devidoa rarefação do ar. Quando o ar frio entra pelo nariz, ele é filtrado e aquecido, para que chegue ao resto do corpo em condições ideais. No avião com o frio intenso e ambiente secopodem dificultar a chegada do ar nos pulmõese deixar o animal com vasoconstricção” predispondo ao desmaio ou até mesmo parada respiratória e cardíaca.Por isso ele só pode viajar na cabine.

Texto longo mas acredito que de muito utilidade.

Boa sorte e muito obrigado.

Para maiores informações, conhecimento e orientação acesso osite:

www.meupetsaudavel.com

e adquira o meu livro ‘COMO CONSERVAR SEU PET FORTE E SAUDAVEL” Ótimo para pesquisar; ótimo para presentear.

Artigo anteriorVEJA ESSAS 6 DICAS PARA ADQUIRIR E CUIDAR MELHOR DO SEU PET BRAQUICEFÁLICO.
Próximo artigoAlimentos Diferentes que Não Devemos Oferecer aos Cães e Gatos, e Por quê ?
O Blog meu pet saudável foi criado pelo Médico Veterinário Aloízio Apoliano Cardozo, M.S. pela U.F.V. MG, pós graduação em Clínica Médica Cirúrgica de Pequenos Animais pela Qualittas, pós graduação em dermatologia pela Equalis e participação em vários eventos como Congresso, Simpósio, cursos, palestras , dentre outros, promovidos pela Qualittas e ANCLIVEPA. Atuou por diversos anos prestando Assistência Técnica e Extensão Rural, teórica e prática, com metodologia grupal, aos pecuaristas pela ACAR-GO (Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Goiás) e EMATER-GO ( Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Goiás). É Diretor do Consultório Veterinário Popular e proprietário de uma loja de Produtos Veterinários: medicamentos, rações, vacinas e acessórios diversos para pet. Trabalhou como voluntário plantonista no Centro de Valorização da Vida (CVV) e no Hospital das Clínicas(HC) da UFG, fazendo palestras para os pacientes, sobre estilo de vida, alimentação saudável e mensagens musicais; participou de vários cursos de dança de salão com professores Jaime Aroxa e Carlinhos de Jesus; foi fundador da Academia de Dança Bolero Passos e Compassos: ministrou curso de dança de salão para pessoas carentes na Paróquia São francisco de Assis contribuindo para um crescimento físico, moral e espiritual. É sócio da Associação Nacional de Clínicos de Pequenos Animais e possuidor do selo de qualidade ANCLIVEPA -BRASIL.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui